Inquérito sobre o caso em Três Pontas foi concluído e encaminhado à Justiça; ela vai responder por homicídio qualificado e ocultação de cadáver.

A Polícia Civil confirmou que a mãe do bebê recém-nascido que foi encontrado morto em um córrego no início do mês em Três Pontas (MG) saiu para beber com amigos após matar a criança e jogar o corpo no local. Ela foi indiciada homicídio qualificado e ocultação de cadáver.

A princípio, a Polícia Civil trabalhava com a possibilidade de crime de infanticídio, que é a morte do filho provocada pela mãe por ocasião do parto ou durante o estado puerperal. Mas a polícia concluiu, por meio de laudos psiquiátricos, que a jovem não agiu sob fortes emoções e inclusive, cometeu o crime sozinha.

“A forma como a vítima reagiu pós-crime, esse laudo psiquiátrico que ela foi submetida na penitenciária em Três Corações, afastou qualquer possibilidade dela ter agido de forma inconsciente, sobre estado puerperal, que é uma alteração psico-hormonal e por isso concluiu-se, que ao invés do infanticídio que inicialmente se cogitou, passa-se a responder por homicídio qualificado e doloso, na modalidade dolosa, mais o crime de ocultação de cadáver, porque o lançamento da criança no córrego não foi um instrumento, um meio de cometer o crime, pelo contrário, foi uma forma de ocultar o crime que ela já tinha cometido e lançando no córrego. A ideia dela no lançamento no córrego era para ocultar, tanto que ela quase conseguiu, porque o corpo foi descoberto três dias depois”, explicou o delegado Gustavo Gomes.

O bebê foi encontrado dentro de um córrego de uma avenida central por um policial militar. Imagens de câmera de segurança divulgadas em redes sociais flagraram o possível momento em que a mãe joga o bebê no córrego. A mulher foi detida pela Polícia Rodoviária Federal dentro de um ônibus em Bragança Paulista (SP).

Segundo a polícia, a mulher escondeu a gravidez da família e teve a criança em um banheiro.

“Com o avançar das investigações, a gente levantou que ela escondeu a gravidez de boa parte da família e amigos, algumas pessoas sabiam e até orientaram ela a procurar um médico, mas ela se manteve omissa e não o fez durante a gravidez e na hora do parto também não, ela teve as dores do parto, se colocou na madrugada dentro de um banheiro, teve a criança, que nasceu com vida, isso é um elemento importante para nós, e não procurou ajuda pós-parto, ceifou a vida da criança ou pela omissão da ausência de cautelas iniciais e cuidados ou por uma asfixia, isso o laudo não deixa muito claro, mas o fato é que ela teve a intenção de matar, matou, era uma gravidez indesejada”, disse o delegado.

Córrego em que mãe jogou bebê em Três Pontas (MG) — Foto: Velber Viana/EPTV

Após ser ouvida em Pouso Alegre, a mulher teve a prisão preventiva decretada e foi levada para a Penitenciária de Três Corações. Segundo a polícia, a mulher confessou o crime e disse que seguiu os dias normalmente após o parto e se desesperou com a repercussão do caso.

“A investigação foi concluída na última quarta-feira e encaminhada ao fórum na data de ontem, ela responde por homicídio qualificado, que é pena de 12 a 30 anos, mais o crime de ocultação de cadáver, que a pena é de um a três anos, então a gente acredita que vai ser uma pena bastante alta e vai ser submetida ao júri popular”, concluiu o delgado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.