Magistrado apontou erro em campo de leitura da concessionária para definir suspensão.

Valores altíssimos na conta de energia assustaram moradora de Goiás.

Uma moradora de uma fazenda em Campo Alegre, no interior de Goiás, teve as faturas de energia temporariamente suspensas após questionar os valores exorbitantes cobrados pela Enel na Justiça.

Nos autos, a defesa da mulher alegou que o consumo dela diminuiu cerca de 300kWh de um mês para outro, mas, inexplicavelmente, a tarifa foi de R$ 691,58 para R$ 1.810,41.

Ao Rota Jurídica, o advogado Ricardo Tomaz de Oliveira afirmou que existe uma unidade consumidora na fazenda e que há mais de um ano a proprietária convive com erros da Enel.

Mesmo contestando os valores, na sede da rede de distribuição, a dívida já se aproximava dos R$ 7 mil.

A decisão de suspender imediatamente as faturas foi tomada pelo juiz Giuliano Morais Alberici, do Juizado Especial Cível de Ipameri.

Além disso, o magistrado determinou que a Enel mantenha o fornecimento de energia na residência da consumidora até o último recurso possível da ação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.