Jorge Bezerra diz que o inquérito está sob sigilo e que a Polícia Civil faz buscas para identificar e localizar os possíveis autores do crime

Dois dias após o latrocínio praticado contra o idoso Eli Ferreira de Souza, de 62 anos, a Polícia Civil continua em diligências para identificar e localizar os possíveis autores do crime. O delegado Jorge Bezerra, responsável pelas investigações, revelou que além de ser golpeado com faca o idoso também foi alvo de marteladas no último domingo (27), no bairro JK Nova Capital, em Anápolis.

Vítima trabalhou na Santa Casa de Anápolis, e tinha 62 anos (Foto: Reprodução/Facebook)

Testemunhas relataram à Polícia Civil que o idoso locava quitinetes no bairro e por ser homossexual ele tinha o costume de receber visitas de homens no local.

De acordo com o delegado, o inquérito está sob sigilo. “Ressaltamos que o suposto, ou os supostos autores levaram a motocicleta, carteira e o celular da vítima. A Polícia Civil por meio do Grupo Especial de Repressão a Crimes Patrimoniais (Gepatri) segue vigilante para apurarmos a autoria desse crime”, afirma em entrevista ao Mais Anápolis.

Idoso foi encontrado morto com sinais de violência

O corpo de Eli Ferreira foi encontrado com sinais de violência na tarde de domingo. Segundo familiares, o homem teria passado a madrugada consumindo bebidas alcoólicas com um suposto inquilino. Após várias horas sem contato com a vítima, parentes arrombaram uma porta e o encontraram sem vida.

Após perícia na cena do crime, o corpo foi levado ao Instituto Médico Legal (IML).

Eli Ferreira de Souza, tinha 62 anos e alugava imóveis (Foto: Reprodução)
Eli Ferreira de Souza (Foto: Reprodução)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.