Criminosos se passaram até por policiais e passaram a exigir dinheiro da vítima, afirmando que mulher com quem ele trocou fotos íntimas teve depressão e se suicidou após enviar as imagens.

Um homem de 42 anos foi vítima de extorsão em Praia Grande, no litoral de São Paulo, perdendo mais de R$ 10 mil, após trocar fotos íntimas com uma suposta mulher que conheceu na internet, e passar a ser ameaçado por criminosos de ter essas imagens vazadas. A mãe dele, de 69 anos, também foi localizada pelos suspeitos e passou a ser extorquida.

Conforme apurado pelo g1, a vítima relatou à polícia que conheceu uma moça na internet há cerca de três meses, e que ambos trocaram os chamados “nudes”. Porém, após a troca, em janeiro, ele passou a sofrer ameaças e extorsão por parte de criminosos, que passaram a exigir dinheiro em troca do silêncio, ameaçando que, caso ele não enviasse dinheiro, iriam expor ele nas redes sociais.

 — Foto: Reprodução
Bora de Brasileirão! A maior oferta de jogos por um preço que dá jogo. Assine o Premiere!

Segundo o relato à Polícia Civil, após a troca das fotos íntimas, os criminosos se passaram até por policiais, e entraram em contato com ele. Um deles se apresentou como delegado de polícia do 33º DP de São Paulo, e outro como sendo da Corregedoria de Araras (SP), enviando, inclusive, cópia de mandado de prisão falso em nome da vitima.

Algumas vezes, a conversa era via áudio, com uma voz feminina, que dizia para a vítima que a moça que trocou nudes com ele ficou com depressão e se suicidou, motivo pelo qual ela [dona da voz do áudio] teria dado queixa contra o homem, e que, por esse motivo, os supostos policiais estavam exigindo dinheiro dele.

Segundo a Polícia Civil, desde janeiro, a vítima vem fazendo transferências de R$ 500 por mês, e por último, no dia 29, o homem fez um empréstimo no banco e transferiu via PIX a quantia de R$ 10 mil para solucionar o problema, porque estava com vergonha e com medo de falar para a mãe do ocorrido.

Porém, após essa última transferência, os criminosos começaram a enviar mensagens via WhatsApp com dados dos familiares da vítima, e de sua mãe, dizendo que iriam atrás de seus parentes.

Por último, os golpistas passaram a conversar com a mãe do homem extorquido, a ameaçando de expor seu filho nas redes sociais, de irem na casa dela e de procurarem seus parentes, já que fizeram o levantamento da vida da vítima.

À polícia, a família relatou que isso está causando medo e tortura psicológica neles, já que não sabem até onde os bandidos podem ir, e o que são capazes de fazer.

As vítimas moram no bairro Vila Tupi, e o caso foi registrado pelo 1º DP de Praia Grande, onde segue sendo investigado pela Polícia Civil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.