A Polícia Civil de Goiás concluiu que o auxiliar de almoxarifado Marcony Pereira dos Anjos, de 29 anos, agiu em legítima defesa ao atirar contra o policial federal Lucas Soares Dantas Valença, de 36, que morreu logo após ser atingido pelo disparo ao invadir a casa do suspeito, em Goiás.

A vítima era conhecida como Hipster da Federal. O investigado foi indiciado por posse ilegal de arma de fogo.

SEJA SÓCIO REI AGORA!

O crime foi praticado no Povoado Santa Rita, em Buritinópolis (GO), no nordeste goiano, em 2 de março deste ano. Lucas ficou famoso e conhecido como o Hipster da Federal após a prisão do ex-deputado Eduardo Cunha, em 2016. A família disse que ele estava em surto.

De acordo com o inquérito policial, presidido pelo delegado Alex Rodrigues, Lucas estava “transtornado, proferindo xingamentos e ameaças, no meio de surto psicótico, chegando a quebrar o padrão de energia da residência e, ao final, arrombar a porta de acesso ao imóvel”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.