A Petrobras comemorou, nesta sexta-feira (2/2), o fato de ter atingido o maior valor de mercado em termos nominais da história, no pregão da Bolsa brasileira (B3) da véspera (1º/1). Ela alcançou R$ 551,4 bilhões, com papéis negociados a até R$ 42,93 (ações ordinárias). O número impressionou o mercado, mas ele ainda está muito distante da máxima história da petroleira, se considerado o mesmo valor em dólares – o parâmetro usado pelos investidores estrangeiros.

Uma análise realizada pelo especialista em dados do mercado de capitais Einar Rivero, da consultoria Elos Ayta, mostra que, pela cotação atual da moeda americana, a Petrobras vale US$ 111,73 bilhões. Essa quantia representa menos da metade do total obtido em 21 de maio de 2008, quando o valor de mercado chegou a US$ 309,48 bilhões, o equivalente a R$ 510,39 bilhões, na cotação da época.

Na avaliação de Rivero, essa diferença mostra a fora da “volatilidade nos mercados financeiros, mas também a influência das taxas de câmbio na avaliação das empresas, especialmente para investidores estrangeiros”. “E o pico nominal (em reais), embora represente uma barreira psicológica notável, revela uma narrativa mais complexa quando expresso em dólares”, diz o analista.

No pregão de quinta, as ações da Petrobras registraram forte alta, apesar da queda do valor do barril de petróleo no mercado internacional. Para Rafael Passos, sócio e analista da Ajax Asset, a elevação dos papéis foi resultado da repercussão no Brasil de declarações de executivos da empresa, feitas num evento realizado nesta semana, em Nova York, o Deep Dive (mergulho profundo) da Petrobras. “As afirmações reforçaram a ideia de que, queiram ou não, a companhia vai pagar bons dividendos aos acionistas”, afirma Passos.

Nesta sexta, o presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, afirmou que o recorde coroa o trabalho feito no ano passado pela empresa. “Estamos muito satisfeitos com os sucessivos recordes de valor de mercado”, diz. Ele atribuiu os saltos na B3 à “retomada de investimentos que a nova gestão tem realizado no último ano”.

Patrocinado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *