Magno Lopes, de 46 anos, teve uma parada cardíaca e diversas convulsões. Ele ficou 35 dias internado, mas não resistiu às complicações. Myrian Lopes, irmã da vítima, disse ao g1 que o irmão ganhou o peixe de um amigo no dia 22 de dezembro. Todas as espécies de baiacu têm uma toxina que pode levar à morte se o peixe não for bem preparado antes do consumo. “A gente não sabe a procedência do peixe, se foi pescado ou ganhado. Eles limparam o baiacu e comeram. Magno nunca tinha limpado baiacu antes”, contou Myrian.

Patrocinado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *