Um sobrinho da mulher que morreu após o carro ‘decolar’ e bater contra um caminhão atendeu a ocorrência do acidente, mas não reconheceu a tia. Segundo a filha de Eliane Sardinha, ele é bombeiro militar e ajudou a socorrer a vítima após a colisão na GO-330, em Anápolis, a 55 km de Goiânia.

Eliane tinha 49 anos e era assessora no Centro de Atendimento Socioeducativo de Anápolis. Ela saiu na terça-feira (23) de Anápolis, onde morava, e iria visitar a mãe, em Petrolina de Goiás, na região central do estado. Um vídeo registrou o momento exato da batida .

Ao g1, a filha da vítima, Déborah Sardinha, disse que percebeu que a mãe não a respondia e não atendia as ligações e, por isso, começou buscar informações da mãe com parentes. Primeiro, a jovem disse que ligou para avó que afirmou que Eliane não tinha chegado na casa dele ainda.

Preocupada, Déborah ligou para um primo que é bombeiro. A jovem afirma que ele atendeu a ocorrência do acidente com Eliane, mas não a reconheceu no momento do socorro. Segundo a jovem, ela só confirmou a morte da mãe após conseguir falar com o Corpo de Bombeiros.

O vídeo de uma câmera de segurança mostra quando o carro dirigido pela mulher sobe na grade de proteção da rodovia, “decola”, volta para a pista e bate de frente contra um caminhão que vinha no sentido oposto. A Polícia Civil está investigando o caso.

Patrocinado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *